Notcias
» CAMPANHA DE VACINAO CONTRA POLIOMELITE E SARAMPO
01/08/2018

O Ministério da Saúde, juntamente com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, realizará no período de 6 a 31 de agosto de 2018, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e contra o Sarampo.


A partir da próxima segunda, as Unidades Básicas de Saúde da rede municipal estarão realizando a vacinação em crianças de um ano até quatro anos 11 meses e 29 dias. A meta mínima a ser alcançada corresponde a 95% de cobertura vacinal contra poliomielite e sarampo.


Para realizar a vacina, é preciso comparecer as unidades de saúde munidos da Caderneta de Vacinação e do cartão SUS.


Como forma de divulgar a campanha e aumentar a mobilização, foi estabelecido o dia 18 de agosto, um sábado, para o dia D da campanha de vacinação.


Neste dia, das 8:00h às 12:00h e das 13:00h às 17:00h as Unidades Básicas de Saúde Centro e Linha Francesa Alta estarão abertas e mobilizadas em prol da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.


As doses vão ser distribuídas para crianças da faixa etária solicitada mesmo que já tenham tomado o imunizante anteriormente - exceto para as vacinadas nos últimos 30 dias. O objetivo é vacinar as que nunca tomaram a dose, completar o ciclo de imunização e aplicar doses de reforço.


Nesta campanha os pais e responsáveis são atores sociais importantes no processo de manutenção da eliminação dessas doenças e devem comparecer aos serviços de vacinação com suas as crianças, levando a caderneta de vacinação para avaliação e registro.


A campanha está focada apenas nas crianças de 1 ano á menores de 5 anos, os demais inclusive os adultos, devem procurar as unidades de saúde com sua caderneta de vacinação e cartão SUS, para ver se está atualizada, não estando estes incluídos na campanha.


ENTENDA A CAMPANHA


A poliomielite é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por um qua­dro de paralisia flácida, de início súbito. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principais características a flacidez muscular, com sensibilidade preservada.


A transmissão ocorre por contato direto de pessoa a pessoa, pela via fecal-oral (mais frequentemente), por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores, ou pela via oral, através de gotículas de secreções da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar). A falta de saneamento, as más condições habitacionais e a higiene pessoal precária constituem fatores que favorecem a transmissão do poliovírus.


Já o Sarampo é uma doença infecciosa exantemática aguda, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e até óbito, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.  A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias, no período de quatro a seis dias antes do aparecimento do exantema até quatro dias após.


Apesar dos esforços empreendidos desde o início do programa de eliminação da doença, nos últimos anos, casos de sarampo têm sido reportados em várias partes do mundo e segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), muitos países permanecem endêmicos para o sarampo, principalmente aqueles com baixa cobertura vacinal.


Nos últimos anos, foram vivenciados surtos de sarampo no Brasil, sendo registrados em 2015, 211 casos da doença no Estado do Ceará, 02 São Paulo e 01em Roraima, relacionado ao surto do Ceará. No período de 2016 a 2017, não foi registrado nenhum caso da doença no país. Atualmente, o Brasil enfrenta surtos de sarampo em três estados (Roraima, Amazonas e Rio Grande do Sul (7 casos) com registro de 320 casos confirmados.


Desse modo, reforça-se a necessidade da realização da campanha contra a poliomielite e contra o sarampo, a fim de captar crianças ainda não vacinadas ou que não obtiveram resposta imunológica satisfatória à vacinação, minimizando o risco de adoecimento dessas crianças e, consequentemente, reduzindo ou eliminando os não vacinados.